Saudações colegas leitores e leitoras da UROMINAS.

Nesta edição os senhores e senhoras poderão analisar excelentes trabalhos que percorrem diferentes áreas da urologia em todo Brasil. Gostaria de salientar alguns pontos que merecem atenção.

O artigo sobre o treinamento laparoscópico merece destaque pela criatividade dos autores, onde conseguiram detalhar a metodologia da confecção de um instrumento de treinamento e o seu custo atualizado. Esta análise incentiva ao treinamento da laparoscopia na cirurgia urológica e gera uma reflexão da nossa realidade atual nesta modalidade de aprendizado. Outros três trabalhos que gostaria de salientar relatam diferentes pontos no tratamento do câncer de próstata. O primeiro a ser comentado é uma revisão sobre a crescente tendência da prostatectomia radical no cenário da doença oligo-metastática, trata-se de uma atualização cuidadosamente conduzida e que ajuda a organizar o tema de uma forma clara. O trabalho sobre uso do cateter vesical na prostatectomia radical chama atenção pelo objetivo e pela metodologia. Apresenta-se com evidencia científica elevada e debate sobre uma variação da técnica cirúrgica, o que é difícil de ser conduzido. E por último e não menos importante, gostaria de ressaltar a análise sobre as variações na determinação da patologia do Câncer de Próstata, divisor de águas no prognóstico e um desafio para todos que lidam com esta doença.

Que este breve editorial sirva de incentivo à exploração do demais e importantes trabalhos que trazemos nesta edição do UROMINAS. Agradeço e parabenizo aos colaboradores pelo rico trabalho e louvável esforço. Reitero nosso canal de comunicação para comentários, sugestões, reclamações e solicitações.

A todos desejo uma ótima leitura!