RESUMO:

A disfunção erétil (DE) e os sintomas do trato urinário inferior (LUTS) são responsáveis por impacto considerável na qualidade de vida dos pacientes. Nesses indivíduos, fatores de risco para doenças cardiovasculares como hipertensão arterial, tabagismo, diabetes, obesidade, dislipidemia e etilismo devem ser monitorados devido à possibilidade de problemas cardiovasculares futuros. O objetivo do trabalho foi investigar a incidência de fatores de risco para doenças cardiovasculares em pacientes com DE e/ou LUTS. Foram avaliados 56 pacientes portadores de DE e/ou LUTS, com idade entre 40 a 70 anos (58,21 ± 7,6), utilizando o Questionário Internacional de Sintomas Prostáticos (IPSS) e o Índice Internacional de Função Erétil (IIEF). Foi pesquisada, em cada paciente, a presença dos seguintes fatores de risco para doenças cardiovasculares: hipertensão arterial, tabagismo, diabetes, obesidade, dislipidemia, etilismo e sedentarismo. Do total de 56 indivíduos, 24 são portadores de disfunção erétil, 49 de LUTS e 22 de ambas afecções.

Os fatores de risco com a respectiva quantidade de pacientes foram: etilismo (n = 8), diabetes (9), obesidade (28), sedentarismo (22), tabagismo (11), dislipidêmicos (16) e hipertensos (18). Foi demonstrada a presença concomitante de tais fatores em pacientes com DE e/ou LUTS. Com base nesses resultados, pretende-se fornecer embasamento aos profissionais da saúde para que, ao lidarem com pacientes portadores de disfunção erétil e sintomas do trato urinário inferior, investiguem tais fatores de risco e iniciem tratamento precoce, promovendo melhor qualidade de vida, uma das mais complexas e almejadas metas terapêuticas.

INTRODUÇÃO:

O termo LUTS refere-se aos sintomas obstrutivos diretamente relacionados com a dificuldade miccional, podendo ser uma manifestação da hiperplasia benigna da próstata (HPB)1. Já a disfunção erétil consiste na incapacidade de se atingir e manter a ereção por tempo suficiente para o desenvolvimento de atividade sexual satisfatória2. LUTS e disfunção erétil são problemas comuns em homens de meia idade e idosos. Além disso, estudos epidemiológicos evidenciam que a gravidade do LUTS é um fator crucial no surgimento de disfunções sexuais3.

Doenças vasculares podem ser um dos fatores que afetam a gravidade do LUTS4. Homens com hipertensão arterial têm grau maior de LUTS do que homens não hipertensos5. Além disso, alguns distúrbios comuns de LUTS como freqüência miccional e noctúria são mais comuns em pacientes com pressão sangüínea elevada do que em normotensos6. Estudos recentes mostram ainda que homens com doenças cardíacas têm mais que o dobro de chance de desenvolverem LUTS do que homens saudáveis7. Inúmeras co-morbidades têm sido apontadas pela literatura atual como possíveis fatores de risco para o desenvolvimento de LUTS, como por exemplo o tabagismo, a obesidade, hipertensão arterial, diabetes mellitus e síndrome metabólica8,9.

Já a disfunção erétil possui incidência altamente associada à faixa etária, diabetes, uso de medicamentos, doenças coronarianas, obesidade e ao próprio LUTS. DE é basicamente uma doença vascular com processo patológico ao nível do endotélio, sendo que a alteração no fluxo sangüíneo para o pênis e a partir dele parece ser seu mecanismo mais comum10.

OBJETIVO:

O estudo tem por objetivo investigar a incidência de fatores de risco para doenças cardiovasculares em pacientes com disfunção erétil e LUTS.

CASUÍSTICA E MÉTODO:

A coleta de dados foi feita em 56 pacientes portadores de disfunção erétil e/ou LUTS atendidos no período de agosto/2008 a janeiro/2009 no Ambulatório de Urologia do Hospital de Base de São José do Rio Preto, com idade variando de 40 a 70 anos (58,21 ± 7,6)  com sintomas de LUTS e DE. Esta pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP).

Para determinar a presença de disfunção erétil e LUTS nos pacientes avaliados, foram utilizados os seguintes instrumentos: Questionário Internacional de Sintomas Prostáticos (IPSS)11 e o Índice Internacional de Função Erétil (IIEF)12.

Foram investigados fatores de risco para doença cardiovascular como etilismo, diabetes, obesidade, sedentarismo, hipertensão, tabagismo e dislipidemia, que serão determinados individualmente em cada paciente.

A busca pelos fatores etilismo, tabagismo e sedentarismo foi feita por meio de questionamento direto ao paciente sobre seus hábitos de vida. A presença ou não de diabetes e dislipidemia foi determinada através de exames de sangue e de pesquisa no prontuário individual de cada paciente, através do número de registro do prontuário cada um. Obesidade foi determinada pela medida da cintura abdominal do paciente, enquanto que a hipertensão arterial foi verificada através da medida indireta da pressão arterial.

RESULTADOS:

No total foram estudados 56 pacientes usando-se questionários IPSS e IIEF. A faixa etária predominante foi de 51 a 60 anos, com 26 pacientes (46,4%), seguida de 21 pacientes na faixa de 61 a 70 anos (37,5%) e 9 pacientes com idade entre 41 e 50 anos (16,1%).

FIGURA 1

Powered by Rock Convert

Figura 1. Distribuição percentual dos pacientes de acordo com a faixa etária. Figura 1. Distribuição percentual dos pacientes de acordo com a faixa etária.