INTRODUÇÃO

O carcinoma de células renais representa a terceira neoplasia geniturinária mais frequente. É responsável por 3% dos tumores malignos do adulto e é o mais letal dos cânceres urológicos, com taxa de mortalidade de até 40%. A nefrectomia é a base do tratamento dos tumores malignos do rim, e a operação tem o objetivo de remover totalmente a neoplasia. Dependendo da localização e do estadiamento, pode-se optar pela nefrectomia radical (NR) ou nefrectomia parcial (NP).

Historicamente, a NR era o padrão ouro no tratamento das massas renais, contudo a perda de grande quantidade de parênquima renal aumentava as chances de o paciente evoluir para insuficiência renal crônica e mortalidade por doença cardiovascular. Com o intuito de preservar maior quantidadepossível de néfrons, passou a ser recomendada a NP. Com o advento da cirurgia minimamente invasiva laparoscópica, na década de 90, e agora, com a robótica, procedimentos mais precisos e com menor morbimortalidade para o paciente têm sido possibilitados pela tecnologia.

OBJETIVOS

Mostrar os benefícios da abordagem robótica na NP, com seus impactos para o paciente e as características que a diferem do procedimento laparoscópico padrão.

MATERIAL E MÉTODOS

Revisão e análise de artigos sobre o assunto na PubMed e nos jornais de urologia mais recentes.

RESULTADOS E CONCLUSÕES

As análises mostram que comparados com o a NP laparoscópica, os sistemas robóticos fornecem imagens ampliadas tridimensionais, além de destreza aprimorada e redução do tremor dos cirurgiões, permitindo melhor manipulação dos tecidos. As capacidades robóticas também podem ajudar os cirurgiões a avaliar melhor os limites dos tumores. Imagens Tile-Pro de ultrassonografia intraoperatória ou tomografia computadorizada pré-operatória com o uso do Sistema Cirúrgico da Vinci para sobreposição de imagem, ajudam a avaliar melhor a localização, as margens e a profundidade dos tumores.

De forma geral, a cirurgia robótica, carrega consigo todos os benefícios de uma cirurgia menos invasiva para o organismo do paciente, como menor trauma e menor tempo de internação pós-operatório. Além das vantagens gerais que o robô proporciona, na NP, essa abordagem possui menor taxa de complicação, menor redução na taxa de filtração glomerular em 1 ano e menos margens positivas, possuindo, portanto, uma maior acurácia e possibilidade de preservação de maior quantidade de parênquima renal.

A cirurgia robótica apresenta também benefícios para o cirurgião e para os serviços que a disponibilizam. Possui melhor ergonomia e uma curva de aprendizagem mais fácil, possibilitando que mais cirurgiões sejam capazes de realizar o procedimento.

A cirurgia assistida por robô e sua utilização na NP solucionou a maioria das dificuldades que a cirurgia minimamente invasiva laparoscópica padrão apresenta. Embora o preço dos sistemas robóticos ainda seja o maior limitante para a sua implementação na maioria dos serviços, com o tempo, haverá um inevitável barateamento da tecnologia. A curva de aprendizagem mais fácil, somada aos benefícios que sua precisão possui na redução da perda de parênquima renal durante a NP, estabeleceu a utilização da abordagem robótica como sendo uma boa alternativa para a maioria dos pacientes.

Referências
1. Garcia, A. S.; Pinedo, B. N.; Antiqueira, J. K.; Fatel, L. M.; Soldi, N. M.; Jacob, P. S.; Brito, G. A.; Alves, J.; Zequi, S.; Guimarães, G; Pereira, B. J. Características Clínicas dos Pacientes Submetidos à Nefrectomia Parcial e Presença de Carcinoma Renal. Revista Brasileira de Cancerologia 2017; 63(2): 95-101.
2. Andrew M. Ng, MD, Paras H. Shah, MD, and Louis R. Kavoussi, MD. Laparoscopic Partial Nephrectomy: A Narrative Review and Comparison with Open and Robotic Partial Nephrectomy. JOURNAL OF ENDOUROLOGY Volume 31, Number 10, October 2017.
3. Leow, J. J., Heah, N. H., Chang, S. L., Chong, Y. L., & Png, K. S. (2016). Outcomes of Robotic versus Laparoscopic Partial Nephrectomy: an Updated Meta-Analysis of 4,919 Patients. The Journal of Urology, 196(5), 1371–1377.